Conecte-se conosco

Tech

Usuário de maconha terá aplicativo para monitorar danos causados pela droga

Publicados

em

Embora vários estudos indiquem que o uso de maconha pode causar prejuízos à memória, à atenção e ao tempo de reação, cientistas têm encontrado dificuldades para avaliar esses danos a partir da observação direta de usuários. Para contornar o problema, um grupo de cientistas da Universidade de Chicago (Estados Unidos) desenvolveu o protótipo de um aplicativo que poderá ajudar os usuários a compreenderem, a partir de uma série de tarefas pelo celular, como o uso da droga os afeta.

O protótipo do aplicativo, batizado de “Am I Stoned” (“Estou chapado?”, em tradução livre) foi apresentado nesta terça-feira, 24, no encontro anual da Sociedade Americana de Farmacologia e Terapias Experimentais, em San Diego, nos Estados Unidos.

De acordo com o grupo de cientistas, liderado pela doutoranda Elisa Pabon, da Universidade de Chicago, a iniciativa tem um duplo objetivo: esclarecer aos usuários os danos causados pela maconha e reunir uma grande quantidade de dados científicos sobre os impactos da erva.

“Um dos objetivos de longo prazo do aplicativo é aumentar a segurança do uso de maconha, fazendo com que os usuários fiquem mais conscientes de seus danos. Coletando dados diretamente a partir dos usuários, o aplicativo também contribuirá para aumentar o conhecimento científico sobre os impactos da cannabis nos usuários”, disse Elisa.

Os cientistas pediram a 24 usuários saudáveis de cannabis que eles tomassem uma cápsula contendo um placebo ou contendo de 7,5 a 15 miligramas de tetrahidrocanabinol (THC), que é o princípio ativo da maconha. Inicialmente, nem os participantes nem os cientistas sabiam quem havia recebido o placebo ou o THC.

Em seguida, os participantes do estudo executaram diversas tarefas padronizadas baseadas em computador que já eram utilizadas para avaliar danos, além de outras tarefas com base em smartphones, que podiam ser utilizadas para avaliações fora do laboratório.

Em uma das tarefas, por exemplo, dois botões aparecem na tela do celular por 20 segundos e o usuário deve utilizar dois dedos da mesma mão para apertá-los alternadamente o mais rápido possível. Em outra das tarefas, uma sequência de nove florzinhas se acendem em ordem aleatória e o usuário deve tocar nelas na ordem em que se acenderam. Em um teste de tempo de reação, o usuário deve sacudir o celular no momento em que um ponto azul aparece no meio da tela.

Adaptações
Os pesquisadores conseguiram detectar com sucesso os danos causados pelo THC com o uso de três das quatro tarefas realizadas em computador e com uma das tarefas realizadas no celular. Segundo Elisa, as tarefas agora serão adaptadas para que o aplicativo possa ser utilizado integralmente no celular. O estudo também mostrou que os usuários, em geral, estavam conscientes dos danos.

“Os efeitos do THC no desempenho podem ser sutis e, por isso, precisávamos de tarefas com sensibilidade suficiente para detectar os danos. É provável que as tarefas em computador, cuja execução levava de 15 a 20 minutos, tenham sido mais sensíveis aos danos do THC, porque elas forneciam mais oportunidades para detectar o efeito da droga”, disse Elisa.

Embora o protótipo não tenha o objetivo de avaliar a capacidade de uma pessoa para dirigir ou realizar atividades que podem causar ferimentos, os cientistas planejam utilizar os resultados obtidos a partir dos testes para desenvolver um aplicativo que permita ao usuário avaliar seu próprio desempenho. Para isso, a pessoa deverá antes completar as tarefas sem ter feito uso de drogas, a fim de fornecer uma informação personalizada que possa ser utilizada depois para avaliar os danos do uso da maconha.

Os pesquisadores planejam utilizar os dados obtidos por esse estudo para melhorar a sensibilidade das tarefas com base no celular na detecção dos danos induzidos pelo THC, para que o aplicativo possa ser desenvolvido com um ajuste mais adequado às situações reais.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tech

No dia dos Pais surpreenda seu melhor amigo com um notebook Samsung

Publicados

em

Escolher o presente ideal para os pais não é uma tarefa das mais fáceis. Para ajudar os consumidores que buscam surpreender neste Dia dos Pais, a Samsung listou três modelos do novo lineup de notebooks que devem agradar até mesmo os pais mais exigentes. Confira:

Criatividade levada à sério

Se o seu pai utiliza o notebook para trabalhar e tem que lidar com projetos mais robustos e que requerem um maior empenho, o Style S51 Pen é o modelo perfeito para ele. Este notebook premium da Samsung é equipado com a poderosa caneta S Pen, que reconhece até 4.096 níveis de pressão e possui uma ponta de 0,7 mm de espessura. Ele se destaca por ser um notebook multitarefas, com vários modos de uso – como a opção tablet, por exemplo, algo que combina perfeitamente com o uso da S Pen, pois a tela detecta sempre que a ponta da caneta está inclinada sobre a superfície do display. Com isso, os pais podem criar trabalhos com diferentes traçados ou pinturas que necessitam de tons de cores variadas. O Style S51 Pen está disponível no Brasil na cor prata, com preço sugerido de R$ 8.499.



Potência aliada à portabilidade

Se você procura um modelo que entrega portabilidade e desempenho, o Style S51 Pro é um notebook perfeito para os pais que prezam pela mobilidade sem precisar abrir mão de uma série de recursos. Pesando pouco mais de 1,29 quilos, o Style S51 Pro consegue oferecer uma autonomia de até 19 horas se o notebook estiver com 100% de carga na bateria. Este modelo é a pedida ideal para os pais que precisam do computador para realizar tarefas como edição de vídeo e imagens. Ele conta com tela de 15 polegadas Full HD com 450 nits de brilho e acabamento em Metal12™, material firme, resistente e leve, além de processador Intel Core i7 Quad-Core de oitava geração, 16GB de memória RAM, que atua em conjunto com um SSD ultrarrápido de 256GB SSD e placa de vídeo de 2GB de memória dedicada. O Style S51 Pro pode ser encontrado na cor prata, com preços sugeridos de R$ 8.999.

Dinamismo e segurança

Pais que utilizam o notebook no dia a dia e que precisam do que há de mais avançado no que diz respeito à segurança, ficarão completamente impressionados com os inovadores recursos de segurança dos modelos das linhas Essentials e Expert. É possível bloquear a câmera e o microfone, escurecer partes da tela para garantir mais privacidade, além de criar diferentes padrões de senhas por meio do Touchpad Logon. Os modelos destas linhas são perfeitos também para os pais que assistem séries e filmes, e que utilizam o notebook para videoconferências – todos são equipados com webcam, microfone e têm saídas para fone de ouvido. Os modelos estão disponíveis nas cores Titanium e Branco Onix, com preço sugerido a partir de R$ 1.999.

“A Samsung reúne um portfólio completo de notebooks com variadas opções para quem busca surpreender os pais com um modelo que realmente integra design e recursos inovadores”, comenta Sandra Chen, Diretora da área de Notebooks da Samsung do Brasil.

Para mais informações acesse AQUI</em>.

Continue lendo

Tech

Após multa de R$ 19,4 bi, Google pode passar a cobrar pelo sistema Android

Publicados

em

A multa de € 4,3 bilhões (cerca de R$ 19,4 bilhões) que a União Europeia impôs nessa quarta-feira, 18, ao Google pode ter impacto direto no Android, sistema operacional móvel mais usado do mundo. A União Europeia acusa o Google de obrigar fabricantes de smartphones a pré-instalar aplicativos, como o de busca e o YouTube, nos telefones em troca de usarem o sistema. Após o anúncio, o presidente executivo do Google, Sundar Pichai, disse que a empresa vai recorrer.

A decisão pode mudar o modelo de negócios do Android, que hoje é usado gratuitamente por 1,3 mil fabricantes em todo o mundo – segundo o Google, são 24 mil modelos de dispositivos com a plataforma, que hoje possui mais de 1 milhão de aplicativos. Criado em 2008 para competir com o iPhone, da Apple, o Android ganhou mercado por ser de código aberto e gratuito e hoje é usado em mais de 80% dos dispositivos móveis.

“O Google investiu bilhões de dólares para fazer do Android o que ele é hoje”, disse Pichai, no blog oficial. “Esse investimento faz sentido porque podemos oferecer aos fabricantes a opção de pré-instalar um conjunto de aplicativos populares, alguns que geram receita para o Google.” Se esse tipo de acordo for proibido na Europa, é possível que o gigante das buscas passe a cobrar pelo software, num modelo similar ao do Windows, da Microsoft.

Isso pode fazer o preço dos smartphones nos países europeus subir. “Pela falta de opção, os fabricantes podem optar por pagar pelo Android, caso seja necessário”, disse o gerente de pesquisas da consultoria IDC, Reinaldo Sakis, ao Estado. “A estimativa mais plausível é de que esse valor seja repassado aos consumidores.”

Para o professor de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), Fernando Meirelles, o Google vai “espernear” por conta da decisão, mas o impacto será pequeno, já que a instalação dos aplicativos poderá ser sugerida de outra forma. “O Google vai ter que dar um jeito, porque não dá para levar multa de US$ 5 bilhões toda semana”, afirma.

A multa aplicada pela União Europeia atinge em cheio a principal fonte de receita do Google: a publicidade exibida em resultados de busca. Hoje, os dispositivos móveis já representam mais da metade das buscas realizadas na ferramenta. “Se os fabricantes não puderem instalar os aplicativos num grande número de dispositivos, isso pode prejudicar o equilíbrio do ecossistema do Android”, diz Pichai.

Investigação
A multa divulgada na quarta-feira é resultado de uma investigação iniciada há três anos pela comissária de concorrência da União Europeia, Margrethe Vestager. A suspeita inicial era de que o Google constrangia fabricantes como Samsung, Sony, Motorola e Huawei, a pré-instalar a busca da empresa nos dispositivos com Android. Só assim, os aparelhos poderiam oferecer também a loja de aplicativos do Android, chamada de Play Store.

A investigação também apontou que o Google fez pagamentos a alguns fabricantes e a operadoras de telecomunicações para que transformassem o navegador de internet Chrome e a busca do Google em padrão.

“O Google aplicou práticas ilegais para consolidar sua posição dominante sobre o mercado de pesquisa online. Isso prejudica os consumidores e é ilegal”, advertiu Margrethe. “O Google deve cessar suas práticas nos próximos 90 dias, caso contrário corre o risco de novas penalidades.”

Continue lendo

Tech

Mudanças no Instagram: Opção de remoção de seguidores e alteração na verificação de segurança

Publicados

em

Uma das redes sociais que tem mais crescido atualmente é o Instagram, e com o seu crescimento diversas novas funções devem ser aplicadas ou atualizadas. Desta forma, o aplicativo contará com elevação na segurança, além da possibilidade de remover seguidores.

Mudança na segurança

Com o grande aumento das empresas e corporações utilizando o Instagram para seus negócios, a segurança tem cada vez mais sendo visada para o aplicativo.

Até então o aplicativo usava o sistema de SMS, que possui uma segurança contestável, por conta da facilidade de ocorrer hackeamentos que forcem mensagens para outros dispositivos.

Com essa fraca proteção, a empresa decidiu usar o mesmo sistema aplicado pelo Google, a verificação de segurança passará a ser realizada através do dispositivo que utiliza o aplicativo.

Seguidores indesejáveis

A outra mudança será com a relação aos seguidores. Para que um usuário pudesse impedir de outro visualizar seus conteúdos era necessário que houvesse o bloqueio da outra conta, o que por sua vez é uma atitude muito drástica.

Tendo em vista isso, o Instagram decidiu implementar um sistema semelhante ao que o Twitter possuía. Basta procurar a pessoa que deseja impedir de ver seus conteúdos e removê-la de seus seguidores – bem simples e prático.

Continue lendo

Quentes